sexta-feira, 25 de março de 2016

Pudim Molotof com Amêndoa e Caramelo



Ao procurar a história do pudim Molotof, encontrei esta pequena explicação no Ciberdúvidas:
"O nome original deste doce é «pudim Malakof» e está relacionado com a guerra da Crimeia que decorreu em 1854 e 1855. Malakof é o nome de uma fortaleza que protegia a cidade de Sebastopol. O general francês Pélissier tomou esta fortaleza e recebeu o título de duque de Malakof. É uma sobremesa de tempos de guerra, visto que é feita com claras de ovo. Por exemplo, em Portugal é frequente fazermos este pudim para aproveitarmos as claras que sobram da receita do pão-de-ló, que usa apenas as gemas dos ovos."
De facto, este pudim foi feito de propósito para aproveitar as claras que sobraram do pão-de-ló de Ovar cuja receita publiquei ontem. Mais uma vez é uma sobremesa simples, com poucos ingredientes, devendo-se apenas ter o cuidado especial de não abrir a porta do forno enquanto este está a cozer para não correr o risco do pudim baixar. A amêndoa na receita é totalmente opcional, e se não estiver a fazer o pudim para gastar claras que sobraram, pode servir com doce de ovos em vez de caramelo. Nesse caso, unte a forma com um pouco de manteiga para ajudar a desenformar.

Ingredientes

- 14 claras
- 14 colheres de sopa de açúcar
- 40 g de amêndoa moída
- caramelo líquido q.b.

Preparação

1. Pré-aqueça o forno a 180ºC. Forre uma forma de buraco com caramelo.
2. Bata bem as claras com o açúcar até ficarem em castelo. Envolva a amêndoa com movimentos suaves.
3. Distribua as claras pela forma uniformemente e leve ao forno por 35-40 minutos. Abra um pouco a porta do forno e deixe o pudim arrefecer lá dentro. Retire e desenforme.

4 comentários:

  1. Fiquei com lágrimas nos olhos aiii que saudades, adoro pudim este está mesmo parecido com o pudim da minha tia Manuela ^_^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada! Este é o comentário mais querido que já recebi aqui :)

      Eliminar